Genoma sequenciado de ‘ayes-ayes’ pode salvar espécies

Em Madagascar, um estudo sobre lêmures noturnos (ayes ayes), conhecidos por sua inteligência, dentes de castor e longos e finos dedos médios, pode vir a ser o método do futuro para a conservação de espécies ameaçadas de extinção: análises de genoma, baratas e rápidas.

Imagem

Pesquisadores obtiveram e compararam genomas completos de três populações diferentes de ayes-ayes e descobriram que a distinção genética entre os grupos estudados é maior do que a de humanos descendentes da África e da Europa, sugerindo que a população merece uma maior atenção conservacionista.

“É a onda do futuro”, disse Patricia Wright, da Universidade de Nova Iorque, antropologista e renomada especialista em lêmures. Segundo ela, esse estudo pode esclarecer prévias informações sobre a diversidade genética dos ayes-ayes que podem impactar positivamente os planos de proteção de outras espécies.

Os genomas foram obtidos ao custo de 2.800 dólares cada um, graças à moderna tecnologia de sequenciamento de genoma disponível nos últimos cinco anos. Pesquisadores esperam que novas tecnologias farão os preços ainda mais baixos, no futuro próximo.

Ayes-ayes são uma espécie ameaçada de extinção em parte por que os nativos acreditam que eles trazem azar e os matam assim que são avistados. Essas ameaças, assim como a larga distribuição geográfica, que diminui a densidade populacional da espécie,afetando a taxa de reprodução, fazem dos ayes-ayes o alvo principal para testar a capacidade de análise do genoma para subsidiar decisões administrativas para a preservação de espécies.

As ferramentas de sequenciamento genético disponíveis para os conservacionistas dependiam de ‘enormes recursos financeiros’, disse George Perry, antropologista da Pennsylvania University, que liderou o estudo. Ele e colegas publicaram o método utilizado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

“Embora a descoberta de uma população geneticamente diferente de ayes-ayes, no norte de Madagascar, seja uma informação nova, ela se encaixa com estudos anteriores, sugerindo que a região é geneticamente isolada e, portanto, cheia de criaturas geneticamente distintas”, disse Perry.

“Isso significa que se preservarmos esses habitantes em Magascar, provavelmente estaremos preservando não apenas a população de ayes-ayes, mas outras populações de outras espécies também”.

Fonte: http://science.nbcnews.com/_news/2013/03/25/17451426-aye-aye-sequence-genomes-to-save-species?lite

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s